Evanescence - 21/04/2007

Attention: open in a new window. PrintE-mail

foto: MRossiMesmo com um público - mais parecido com o de um show de metal normal, apesar de alguns góticos - abaixo do esperado, centenas de jovens arriscaram passar várias noites na frente do estádio, apenas para conseguirem um lugar próximo ao palco, de onde poderiam ver Amy Lee e banda perfeitamente, e o aperto era tão grande que, em determinado momento do show, a própria Amy pediu que todos dessem dois passos para trás na tentativa de evitar qualquer problema e quase ninguém deu bola. Esta foi a única vez que Amy Lee se dirigiu ao público diretamente, até então ela se restringiu a alguns ´obrigada São Paulo´ e vários ´thank you´ e mais nada.

Foto: MRossi

Pontualmente às nove horas, - sim, nove horas da noite - o Evanescence começou sua apresentação com Sweet Sacrifice, só inteligível graças ao instrumental, já que a voz de Amy Lee estava totalmente embolada - problema sanado apenas lá pela sexta canção, Good Enough. Pra ajudar não dava para entender a longa pausa entre as canções, quebrando o clima e funcionando como uma montanha russa. Acredito que para os fãs serviu como um aumento de expectativa, mas dava mais pinta de anti-clímax que qualquer outra coisa. Ainda mais que, aparentemente, não houve vontade de montar um set-list bem distribuído, das seis primeiras músicas, apenas Going Under saiu do álbum de estréia do Evanescence e por mais que a turnê fosse de divulgação de The Open Door, uma mixagem de músicas antigas com novas teria feito mais efeito, a não ser que a intenção era de não queimar os sucessos logo de cara, o fato é que muita gente só entrou no clima do show em Good Enough, quando Amy foi para o piano pela primeira vez - as primeiras lágrimas de várias fãs começaram a cair neste momento.

Apesar de segurar a atenção dos fãs, a animação só aumentou com os primeiros acordes de Haunted, principalmente pela seqüência que contou com Tourniquete, Call Me When You´re Sober - que está tocando sem parar nas rádios -, Imaginary e o hit maior da banda Bring Me To Life, infelizmente em versão chocha, sem a força da versão em disco, na verdade todas as versões ao vivo são inferiores às gravadas, principalmente pela falta de empolgação de toda a banda. Não basta uma Amy rodando, socando o ar e balançando a cabeça o tempo todo, se o resto da banda parece estar tocando apenas por obrigação.

foto: MRossi

Pouco depois a banda deixa o palco, retornando rapidamente para o bis com My Immortal e Your Star. Uma hora e dez minutos depois do inicio, a primeira apresentação do Evanescence em São Paulo acaba, deixando fãs de boca aberta pelo curto show e desesperado pela falta de diversas músicas. O saldo final mostra que a banda é Amy Lee, que ela poderia sair em carreira solo que não faria a menor diferença, além de que, ao vivo, a banda ainda tem muito o que mostrar. O show de São Paulo foi fraco em contato com o público, um público que sabia a letra de todas as músicas, inclusive das do disco mais recente, mas parece que o Evanescence não soube aproveitar a ansia dos fãs brasileiros pelas músicas da banda. Não foi ruim, mas poderia ter sido muito melhor. Quem sabe quando o grupo tiver mais discos lançados, mais sucessos e voltar ao Brasil.

Set List
Sweet sacrifice
Weight of the world
Going Under
The Only One
Lithium
Good Enough
Haunted
Tourniquet
Call Me When You´re Sober
Imaginary
Bring Me To Life
Whisper
All That I´m Living For
Lacrymosa
My Immortal
Your Star

Fotos: MRossi

Facebook

AGENDA

<<  April 2014  >>
 Mon  Tue  Wed  Thu  Fri  Sat  Sun 
   1  2  3  4  5  6
  7  8  910111213
14151617181920
21222324252627
282930    

NEWSLETTER

Deixe seu nome e e-mail para receber nossa newsletter.