Avril Lavigne - Let Go

Attention: open in a new window. PrintE-mail
divulgaçãoA canadense, agora com 19 anos - que ainda parecem 16 -, lançou a pouco tempo o disco Let Go pela BMG. As quatorze músicas do trabalho mostram um pop feito para adolescentes, onde os temas não poderiam ser outros, problemas típicos do pessoal nesta faixa etária, como na baladinha que puxa este disco Complicated, onde ela fala sobre um relacionamento que não deu certo. Outras faixas vão pelo mesmo caminho, Losing Grip e Unwanted falam sobre rejeição e traição. Segundo a garota, que nasceu em uma cidadezinha com cinco mil habitantes na província de Ontario, as músicas mostram como é vida dela, não muito diferente da dos outros adolescente.

Falando em baladas, o disco inteiro é quase só de baladas, e todas seguem uma mesma linha, vocalzinho suave que cresce até o refrão recheado de guitarras distorcidas, bem ao gosto do jovem americano, que não quer se render as babas de uma Britney Spears por exemplo. Avril compõe suas próprias músicas, o que as torna algo bem mais pessoal, bem diferente das beldades que infestam nosso dial, que as vezes sequer cantam. E sim, ela é bonita, se é o que querem saber, mas isso não é o mais importante, o que vale é que ela sabe cantar, sua voz muitas vezes lembram a de Gwen Stefani do No Doubt, mas é menos monótona e diferente do que a imprensa tenta pintar, ela não encarna uma Alanis, na verdade em nenhum momento vemos algo do tipo ´chupei você no cinema`. Por mais rebelde que ela tente parecer, de uma olhada no clipe de Complicated, ela nada mais é que uma adolescente tentando passar para a fase adulta. Ok, em Losing Grip ela quase se passa por Alanis, principalmente quando da uma anasalada no vocal e força nos erres, mas para ela chegar no mesmo patamar ainda tem um bom caminho pela frente.

Outra coisa, suas músicas grudam nos ouvidos e você se pega balançando a cabeça e cantando o refrão quase que instintivamente, tente ficar imune a I Don´t Give a Damm e depois me fale se conseguiu. Skater Boy é uma homenagem ao esporte que ela curte, afinal a menina também é skatista e não por coincidência é a mais faixa mais rock do disco e também será o próximo single, já que não é apenas a base de desilusões amorosas que ela vive, além de que não dá pra vender discos falando apenas de amores e foras, ainda mais que quem mais compra cd nos Estados Unidos são garotos, imaginem eles cantando Unwanted e I´m With You, músicas com temas, digamos, mais femininos.

Avril Lavigne faz parte de uma nova geração de compositoras e cantoras chamada de Authentic Girls, ou garotas autênticas, uma oposição total a artistas pré concebidas para atingirem o público adolescente, como a já citada Britney, e outras que não chegaram a tanto sucesso, onde a beleza (?), o rebolado e as roupas decotadas falam mais alto. Um pouco diferente das Riot Girls, que tinham como ícones Courtney Love e seu Hole, e as meninas do L7, que apostavam num som mais pesado. As ´garotas autenticas´ preferem botar mais melodias para darem seus recados. E no caso de Avril a coisa funciona, este primeiro disco esta vendendo muito bem, tocando nas rádios e com vídeo a mil na MTV, além de ter faturado o premio de melhor estréia, no MTV Awards deste ano...

Uma dica para quem quer conhecer o trabalho dela é tentar achar a versão acústica para Complicated, vocês verão o que é uma Authentic Girl em ação, afinal ela canta, compõe e toca guitarra. Só uma coisa, talvez eu não esteja escutando bem, mas Why? parece estar sendo cantada pela Sandy, uma destas coincidências que ninguém explica. Ah, e pra quem não lembrou quem é Alanna Myles, ela fez sucesso com Black Velvet, lá pelos anos 80.

Facebook

AGENDA

<<  April 2014  >>
 Mon  Tue  Wed  Thu  Fri  Sat  Sun 
   1  2  3  4  5  6
  7  8  910111213
14151617181920
21222324252627
282930    

NEWSLETTER

Deixe seu nome e e-mail para receber nossa newsletter.