Bossa Nova

Attention: open in a new window. PrintE-mail
StockJovens músicos, amantes de jazz e música clássica, buscavam algo que demonstrasse seu modo de vida, além de estar mais ligado ao seu gosto musical, criaram, então, um estilo que mesclava tais gostos com uma pitada de música brasileira, como chorinho e samba.

Canção de Amor Demais, com Elizeth Cardoso, e Chega de Saudade, de João Gilberto, LP e compacto, respectivamente, lançados em 1958, são considerados os precursores da bossa nova. Elizeth interpretava canções de Tom Jobim e Vinícius de Moraes, enquanto João Gilberto tinha Bim-bom no lado B de seu álbum, um dos clássicos da música brasileira, no qual mostrava uma nova forma de tocar violão.

Mas foi com seu primeiro álbum, também chamado Chega de Saudade, que João Gilberto começa a se tornar conhecido pelo Brasil e a bossa nova a ganhar destaque entre as rodas de intelectuais.

Era um momento propicio para as artes no país, no cinema, dois anos antes do lançamento do primeiro disco de João Gilberto, Nelson Pereira dos Santos colocava nas telas o filme Rio Zona Norte, dando início ao que ficou conhecido como Cinema Novo. Nas artes plásticas, começava o movimento neo-concretista, tendo entre seus integrantes nomes como Lygia Clark, Hélio Oiticica e Ligia Pape. Na política, a Capital Federal é transferida para Brasília. Gianfrancesco Guarnieri, em São Paulo, estréia Eles Não Usam Blacktie, inaugurando uma nova linguagem para o Teatro Brasileiro. Com o advento da bossa nova, estava completo o circulo que indicava que o Brasil estava em um novo rumo cultural.

Mas as origens da bossa nova, apesar de ser interpretada por integrantes da classe média brasileira, tem grande ligação com o samba, mais precisamente de Ary Barroso e também com os cantores românticos daquela época, como Johnny Alf, Dolores Duran, Silvio Caldas e Orlando Silva. Custódio, compositor requisitado na época, e morto precocemente, com apenas 35 anos,  antes de qualquer sinal da criação de um novo estilo, já mesclava o jazz e a música clássica em suas composições, indicando o caminho que seria seguido anos depois.

Outro ponto importante foi a influência da música norte-americana sobre uma nova geração de músicos e cantores, como o próprio Dick Farney - que chegou a ser considerado o Frank Sinatra brasileiro -, os grupos Garotos da Lua, em que João Gilberto dava os primeiros passos, e Os Cariocas, que davam claros sinais de que tanto os músicos, quanto o público, estavam interessados em novos sons. Farney, inclusive, arriscou-se em carreira internacional, indo para os Estados Unidos e conseguiu um certo sucesso com a versão em inglês da canção Copacabana.

Mesmo com algumas mudanças, principalmente pelas inovações incorporadas às canções por Lúcio Alves e Dick Farney, a música dita popular ainda trazia letras românticas, `obrigando` àqueles jovens acostumados às areias e bares de Copacabana a retratar seu cotidiano de outra maneira.

Apesar de não serem bem vistos pela própria família, uma nova geração de músicos nascia. Roberto Menescal, filho de arquitetos, chegou a comentar que tocava em um conjunto de baile e em uma noite se apresentou para seus irmãos. Na hora do jantar, sua família foi para as mesas no salão, já Menescau e seu grupo se retiraram para a cozinha, que era o lugar para os músicos. Uma vergonha para a família, que preferia que seus filhos se formassem em medicina, direito ou engenharia.

Para as mulheres a cobrança era um pouco menor, elas poderiam se dedicar à música até que encontrassem um marido. Por sorte, os pais de Nara Leão, que com apenas 12 anos começou a aprender violão, não pensavam desta forma e incentivaram a filha, abrindo seu apartamento na Avenida Atlântica para músicos - a casa de Nara tornou-se conhecida por reunir a nata da bossa nova.

Carlos Lira, outro grande nome da bossa nova, começou a tocar por acaso, depois de quebrar a perna enquanto servia o exército. Sua mãe, com pena, comprou um violão para Lira que passou a praticar segundo o método Paraguassu, depois, quando sua perna estava boa, voltou ao exército e começou a ter aulas com um sargento chamado José Paiva. Depois, quando entrou no colégio Mallet Soares, conheceu Roberto Menescal e Luis Carlos Vinhas e formou um trio com dois violões e piano. Maria Ninguém, outro clássico da bossa nova, foi escrita neste período.

Por volta de 1955, alguns bares, hotéis e clubes se tornaram redutos para músicos interessados em mostrar seu trabalho, o bar Judô Azul, escondido atrás do cinema Rian, tinha Tom Jobim como pianista, vivia cheio de músicos e futuros músicos cariocas. No Clube Tatuis, em Ipanema, ocorriam algumas jam sessions com o violonista Cadinho e, as vezes, com Tom Jobim. Serenatas Noturnas aconteciam no Porto 6. No clube Leblon e no Hotel América também aconteciam reuniões e sessions inspiradas na música norte-americana.

Foi em uma destas reuniões, mas na casa do compositor Breno Ferreira, que Roberto Menescal conheceu Ronaldo Bôscoli, seu parceiro por vários anos. Menescal, cansado do papo que dominava a sala, saiu para buscar uma cuba-livre - bebida símbolo da bossa nova - e escutou uma música diferente vinda da varanda. Foi ouvir e viu o violonista Elton Borges e o então jornalista Ronaldo Bôscoli cantando Fim de Noite, uma de suas primeiras composições. Somente um ano depois é que Menescal e Bôscoli voltariam a se encontrar. Menescal o encontrou na praia e o convidou para ir na casa de Nara Leão.

Outro apartamento que se transformou em point para os músicos foi o de Chico Feitosa e Ronaldo Bôscoli. Ali diversos músicos apareciam para passar a noite, entre eles Caetano Zama, Pedrinho Mattar e Miéle, mas o mais ilustre foi João Gilberto, que tinha o costume de voltar com o sol nascendo, depois de passar a noite por bares cariocas.

Já Tom Jobim chegou a estudar piano com o professor alemão Hans Joachim Koelireutter e criou vários grupos musicais com amigos da escola e praia. Em 1946, entrou para a faculdade de arquitetura, mas não estudou nem um ano, saindo para se dedicar a carreira de música. Com gosto musical variado, indo de Ary Barroso, Pixinguinha e Noel Rosa até Debussy, Ravel e Chopin, Tom Jobin ganhava a vida tocando piano em várias casas da zona sul carioca, até que em 1952 conseguiu um emprego na gravadora Continental, como assistente do maestro Radames Gnatalli, uma de suas funções era passar para a pauta arranjos de quem não sabia escrever música. Mesmo assim, Tom continuou tocando em bares cariocas, agora por puro prazer. Mas não foi pela Continental que Jobim lançou seu primeiro trabalho, e sim pela Sinter, em 1953. Pouco tempo depois, o maestro troca de gravadora e vai para a Odeon, pela qual sairia o primeiro LP de João Gilberto.

As parcerias foram um forte fator para o sucesso da bossa nova, Roberto Menescal, Carlos Lyra e Ronaldo Bôscoli passaram a compor juntos e Se é Tarde Me Perdoa e Lobo Bobo foram umas das primeiras composições do trio. Bôscoli continua compondo com Chico Feitosa, sendo que Sente, Complicação e Sei, são músicas desta nova fase. Conjuntos, como o American Jazz, formado pelos irmãos Castro Neves, também começaram a surgir e Bôscoli também se uniu com Oscar, o violinista do grupo, na criação de Não Faz Assim, mais uma das primeiras canções da bossa nova.

Foi nesta época que João Gilberto conheceu Roberto Menescal. João Gilberto voltava de viagem e resolveu mostrar suas composições para alguém. Gilberto pegou o violão e mostrou em primeira-mão Ô-ba-la-lá. Menescal gostou e resolveu mostrar a música para outras pessoas. Parou, então, no apartamento de Ronaldo Bôscoli, depois foram para a casa de Nara Leão. Com isso João Gilberto foi adotado pela turma e, com o tempo, passou a liderar o `movimento`.

João Gilberto só conheceu Tom Jobim graças a uma indicação do fotógrafo Chico Pereira. Os dois não se conheciam pessoalmente, apenas de nome, nas apresentações pela noite carioca. João Gilberto bateu na porta de Tom Jobim e mostrou suas composições. Tom também mostrou algumas criações suas e apresentou Chega de Saudade, que estaria no álbum Canção do Amor Demais, de Elizeth Cardoso.

João Gilberto adora a música e resolve grava-la também, lançando-a em um compacto, tendo como lado B a sua Bim Bom. O violinista já mostrava seu gênio difícil, ao pedir dois microfones, um para a voz e outro para o violão, algo não muito usual para a época, além de interromper as gravações a todo o momento, dizendo que os músicos erraram o arranjo, ou que o som não estava bom, um pequeno exemplo do que ele faz até hoje.

As primeiras mudanças, à caminho da decadência

A bossa nova, aos poucos, deixa de ser apenas um estilo elitista e começa a interessar outras camadas da população graças a canções como Garota de Ipanema, Desafinado e Samba de Uma Nota Só. O sucesso é tanto que em 1962, a nata da bossa nova vai para os Estados Unidos para se apresentar no Carnegie Hall, nomes como Tom Jobim, João Gilberto, Agostinho dos Santos, Roberto Menescal, entre outros, foram mostrar para o público norte-americano o ritmo que estava contagiando os brasileiros.

Mas, um pouco antes disso, em 1960, um grupo de músicos, Marcos Valle, Dori Caymmi, Edu Lobo, Francis Hime e Joyce  romperam com a bossa nova, criticando a ligação do estilo com o jazz, propondo uma aproximação com a música popular. Carlos Lyra e Nara Leão foram dois que apoiaram esta nova visão, e fizeram parcerias, no caso de Nara, com Cartola e Nelson Cavaquinho. Com esta nova visão é lançado, em 1966, o LP Afrosambas, de Vinicius de Moraes e Baden Powell.

Em 1965, Vinicius e Edu Lobo escrevem Arrastão, canção que Elis Regina defenderia no Festival da Música Popular Brasileira, transmitido pela TV Excelsior. A canção é considerada como o marco final da bossa nova, dando início a um novo movimento, mais conhecido como MPB.

O novo estilo mesclava artistas desconhecidos com alguns da segunda geração da bossa nova. Geraldo Vandré e Chico Buarque de Holanda, e outros nomes dos festivais musicais, aos poucos passavam a se tornar mais conhecidos que os antigos cantores da bossa nova. Outros, ligados ao tropicalismo, como Gilberto Gil e Caetano Veloso, apostavam em um maior radicalismo, mesclando a nova MPB com ritmos regionais e até mesmo com o rock, que aos poucos chegava ao Brasil, tendo nos Mutantes sua maior característica.

Hoje, enquanto no Brasil a bossa nova é jogada no balaio da MPB, lá fora o estilo continua com muita força. Diversos artistas, desde a década de 1970, se dizem influenciados pela música de João Gilberto e cia, nomes como Stan Getz, Style Council, Everything But Girl, mostraram como transportar a sonoridade brasileira para o pop mundial. Já brasileiros como Marisa Monte, Los Hermanos e até mesmo Cazuza, mantiveram a bossa viva para as novas gerações.

Mais sobre a bossa nova?
http://cifrantiga3.blogspot.com/2006/04/bossa-nova.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Bossa_nova

Por Valdir Antonelli

Facebook

AGENDA

<<  April 2014  >>
 Mon  Tue  Wed  Thu  Fri  Sat  Sun 
   1  2  3  4  5  6
  7  8  910111213
14151617181920
21222324252627
282930    

NEWSLETTER

Deixe seu nome e e-mail para receber nossa newsletter.