Intolerância

Attention: open in a new window. PrintE-mail
A intolerância existe em qualquer meio, sexual, religioso, raça e a música não poderia ficar de fora. Sim, estou falando do absurdo que aconteceu em um show da banda Restart, quando um imbecil - que acredita entender de música - jogou uma pedra na cabeça do vocalista Pelanza, que nada mais fazia que o seu trabalho.

Você pode achar o Restart uma merda, pode achar que o vocalista é outra merda, mas o que leva uma pessoa a querer ferir outra apenas por causa de sua música? Não gosta da banda, não vá ao show e se é um festival, vai para o bar beber, fique longe do palco e deixe os fãs curtirem sem medo, sim, porque daqui pra frente, os fãs do Restart ficarão com medo de estar ao lado de algum louco que pode fazer algo sem sentido só por que se acha melhor que os outros.

Ok, você pode lembrar que Lobão e Carlinhos Brown já tomaram garrafadas, latadas e cuspes na cara durante show no Rock in Rio, mas e daí? Isso é uma atitude normal? Que deve ser tolerada só porque é um show de rock? E mais, você acha que o cara que está no palco tem que aceitar isso sem reclamar só por estar em uma banda de rock (sim, Restart é rock, gostando você ou não)?

E se saíssemos agredindo as pessoas na rua só por não gostarmos do seu estilo de vestir, falar, se comportar? Acharia normal? Pra muita gente nas redes sociais sim, parece ser normal, basta ver a quantidade de pessoas defendendo uma atrocidade dessas apenas por achar a música da banda uma merda.

Não podemos falar que o mundo piorou, já que agressões desse tipo sempre aconteceram - para quem tem mais de 30 não deve ser difícil lembrar das brigas entre skinheads e metaleiros durante a década de 80 -, mas, graças a internet, a impressão que temos é que a violência gratuita ficou tão banalizada que ninguém mais dá bola.

A verdade é que está mesmo. Pais não sabem controlar seus filhos e trocam carinho e atenção por dinheiro e essa molecada cresce sem limites, achando que pode fazer o que bem entender. "Ah, vamos lá no show tacar umas pedras no vocalista, não vai dar nada mesmo", esse cara deve ter pensado e pior, deve  estar certo, porque não deu em nada. Ninguém o pegou e a própria banda, pelo jeito, não está pensando em processá-lo, mas deveria, quem sabe assim as pessoas pensassem um pouco mais antes de ferir outra.

A organização do evento também tem culpa. Onde o cara encontrou uma pedra grande o suficiente para causar um corte na cabeça? Entrou com ela na mochila? Achou no local? Alguém jogou do lado de fora pra ele? Seja qual for, só mostra que muitas produtoras de eventos precisam se profissionalizar e conhecer muito bem o local onde um show vai rolar.

Mas, a verdade, é que a culpa de tudo isso é da banda. Assim como a culpa do estupro é sempre da mulher, que estava usando uma saia tão curta que estava querendo ser estuprada. Sim, a culpa é da banda, que faz música ruim e por isso mereceu a pedrada (aos que não entenderam, estou sendo sarcástico).

Onde será que erramos?

* Não sei de quem é essa foto, mas se alguém souber nos avise para que possamos dar os devidos créditos


Facebook

AGENDA

<<  April 2014  >>
 Mon  Tue  Wed  Thu  Fri  Sat  Sun 
   1  2  3  4  5  6
  7  8  910111213
14151617181920
21222324252627
282930    

NEWSLETTER

Deixe seu nome e e-mail para receber nossa newsletter.