Saturday Sep 20

Social Distortion

Attention: open in a new window. PrintE-mail
No final dos anos 70 os primeiros acordes rápidos, crus e desordenados começaram a surgir das garagens de Orange County, famoso vilarejo localizado no sul da Califórnia. Esses acordes ecoaram e se fundiram nos anos seguintes ao punk seminal oriundo do underground de Nova York e Londres.

Em 1979, Mike Ness tinha apenas 17 anos e juntamente com o baterista Casey Royer e os irmãos Rikk e Frank Agnew ele montou o Social Distortion.

 
Depois de conhecer Dennis Danell, cujo irmão trabalhava em West Hollywood no The Starwood (um clube fundamental nas carreiras de bandas como Black Flag, The Germs, The Go-Gos e muitos outros) Mike Ness insistiu para que Danell tocasse baixo na banda dele, vale lembrar que Danell nunca tinha tocado nenhum instrumento em sua vida. Logo Royer e os os irmãos Agnew deixaram a banda e formaram o The Adolescents.

Em 1981 o Social Distortion lançou seu primeiro single "Mainliner/Playpen”, pelo selo Posh Boy. Nesse mesmo ano Mike Ness desenvolveu uma reputação de “briguento” o que lhe rendeu uma boa parte de sua orelha sendo arrancada à mordida durante uma briga que rolou no bar Cuckoos’s Nest.

Em 1982 a banda embarcou em sua primeira tour nacional pelos EUA, usando um ônibus escolar velho. Contando também com as bandas Youth Brigade e Minor Threat, essa tour se tornou o tema do agora lendário documentário “Another State of Mind”, recheado de muita loucura.
 
No final de 1983 a formação do Social Distortion era Mike Ness, Danell (agora como guitarra base), o baixista Brent Liles e o baterista Derek O’Brien. O disco de estréia da banda Mommy’s Little Monster foi lançado pelo selo 13th Floor e deu à banda um nome nacional na cena punk americana. Mas nessa época o vício de Mike se tornou incontrolável, resultando na saída de Derek e Brent da banda, bem no meio de um show na véspera da noite de ano novo de 1983.

Depois da saída dos dois, Mike e Danell recrutaram John Mauer para o baixo e Christopher Reece para a bateria. Essa formação perdurou por todos os piores anos da banda, enquanto Mike lutava contra o vício, o que lhe resultou em várias prisões e internações em clínicas de reabilitação. De alguma forma Mike continuava compondo e conseguiu manter a banda unida. Em 1985 eles começaram a trabalhar em um novo disco, o que levou algum tempo para ser concluido. Mas em 1988 eles voltaram com tudo à cena com o disco Prison Bound, um álbum cuja faixa título retrata uma “vida perdida”, mas que se tornou um dos maiores sucessos musicais provenientes de Orange County em todos os tempos. A partir daí Mike começou a compor todos os próximos álbuns da banda baseando-se em temas como impulsividade, suas conseqüências e a luta dura para a superação.

Somando-se ao punk pioneiro dos Ramones e do The Clash, o som da banda foi desenhado igualmente pelo amor de Mike pela música raiz, especialmente por lendas da country music como Hank Williams, bem como o Blues clássico do sul dos EUA, como Muddy Waters, Lightnin’ Hopkins e Howlin’ Wolf. “Sem boa música negra, não haveria boa música branca”, disse Mike Ness em várias ocasiões.
 
O album homônino Social Distortion foi lançado em 1990, marcando a estréia da banda por uma grande gravadora. O sucesso dos singles "Story Of My Life" e "Ball And Chain," juntamente com o excelente cover que fizeram para a clássica "Ring Of Fire" de Johnny Cash, deram ao Social Distortion seu primeiro disco de ouro. Logo a banda é convidada para fazer uma tour junto com Neil Young.

Em 1992 a banda lançou outro disco, Somewhere Between Heaven and Hell. promovido pelo single "Bad Luck", dando outro disco de ouro à banda. Seguindo o sucesso de “Bad Luck” no rádio, o Social Distortion embarcou em uma nova tour pelos EUA, agora ao lado dos Ramones.

Em 1996 o Social Distortion veio com um novo disco, White Light White Heat White Trash. Agora a formação contava com o baterista Chuck Biscuits (Black Flag e D.O.A.). O disco foi um estrondoso sucesso nas rádios, com músicas como “I Was Wrong” e “When The Angels Sing" sendo muito executadas. A banda foi confirmada como uma das principais atrações da Warped Tour de 1997 e lançou o disco Live At The Roxy em 1998.

No dia 29 de fevereiro de 2000, o guitarrista Dennis Danell, então com 38 anos de idade, morreu repentinamente de um ataque no coração. Naquela ocasião Mike disse: “A tristeza que sinto vai além qualquer possibilidade de expressão. Dennis era meu amigo desde os tempos de criança e montamos o Social Distortion quando ainda estávamos no colégio”.

Acostumado com as adversidades da vida, Mike decidiu continuar com a banda e no final de 2000 Jonny "2 Bags" Wickersham (guitarra) e Charlie Quintana (bateria) entraram no Social Distortion. Entretanto, foi somente em 2003 que essa nova formação entrou em estúdio para gravar um novo disco – o primeiro álbum de estúdio em 7 anos e o primeiro sem Dennis Danell. O resultado foi Sex Love and Rock ‘n’ Roll, disco lançado em 2004.

Depois de finalizado o disco, o baixista John Maurer decide deixar a banda, sendo substituído por Brent Harding, que já tocava na banda solo de Mike Ness. O novo disco é muito bem recebido em todos os EUA, impulsionado pelo sucesso do single "Reach For The Sky".

Ainda em 2004 a banda lançou o DVD ao vivo Live in The Orange County erelançou o documentário Another State of Mind, agora no formato DVD. Em 2005 a banda fez seis shows com ingressos esgotados no The Wiltern Theater de Los Angeles, marcando um novo recorde de venda de ingressos na casa.

O Social Distortion lançou o disco Greatest Hits no dia 26 de junho de 2007, a primeira coletânea da carreira da banda. O single “Far Behind” foi gravado especialmente para esse disco. Em novembro de 2007 a banda embarcou em uma outra tour de sucesso pela costa oeste americana, fazendo 44 shows com ingressos esgotados, com mais de 50 mil ingressos vendidos. Durante 2008 a banda deu uma parada, enquanto Mike Ness excursionava pelos EUA com sua banda solo.

Depois de 10 fantásticos anos no comando da bateria do Social Distortion, Charlie “Chalo” Quintana anunciou sua saída em abril de 2009. Tocar com o Social Distortion por 10 anos foi uma das melhores coisas da minha vida. Tive sorte de gravar dois discos com a banda e também o segundo disco solo de Mike. Tenho muito orgulho de ter feito parte da banda. Conquistamos coisas que jamais esquecerei – adios amigos!”, declarou Charlie no dia de sua saída. Para o lugar de Charlie a banda escalou ninguém menos que Atom Willard, que já tocou com Rocket From The Crypt, The Offspring e Angels & Airwaves.
Agora, em pleno ano de 2010 e depois de mais de 30 anos de carreira, o Social Distortion anuncia as datas de sua primeira tour pela América do Sul. A tour terá início em São Paulo no dia 17 de abril na Via Funchal e terminará em Buenos Aires no dia 22 de abril.

“A banda e eu estamos muito ansiosos por essa turnê na América do Sul”, diz Mike Ness, “A contar pelos milhares de e-mails que recebemos de nossos fãs na América do Sul, é loucura pensar que demoramos tanto tempo para confirmar esses shows. Não poderíamos estar mais emocionados em anunciar que finalmente isso vai acontecer e esperamos encontrar pela primeira vez todos os nossos fiéis fãs no Brasil e na Argentina. Esperamos também voltar pra casa com novos fãs!” 
 
O Social Distortion está atualmente compondo músicas que farão parte de seu novo disco de estúdio, programado para lançamento até o final de 2010.

Divulgação

Facebook

AGENDA

<<  September 2014  >>
 Mon  Tue  Wed  Thu  Fri  Sat  Sun 
  1  2  3  4  5  6  7
  8  91011121314
15161718192021
22232425262728
2930     

NEWSLETTER

Deixe seu nome e e-mail para receber nossa newsletter.