Friday Oct 31

MC5

Attention: open in a new window. PrintE-mail

divulgaçãoO grupo celebrava a trindade sexo,drogas e rock and roll e seus shows eram totalmente incendiários, oferecendo uma resposta ao paz e amor dos hippies. Mas diversos problemas como censura, interferência da gravadora e problemas jurídicos levaram a banda rapidamente ao seu fim, mas o som continua vivo até hoje, influenciando centenas de novos artistas.O Motor City Five, nome dado em homenagem a cidade natal da banda (Detroit é conhecida por suas montadoras de automóveis) foi formado em Linconl Park em 1964 pelo vocalista Rob Tyner, os guitarristas Fred ´Sonic´ Smith e Wayne Kramer, o baixista Pat Burrows e o baterista Bob Gaspar, todos ainda no colégio.

Entre as provas e festas adolescentes Smith e Kramer começam a testar fórmulas musicais totalmente distorcidas. O rápido desenvolvimento destas novas idéias fez que Burrows e Gaspar deixassem o grupo em 1965, em seus lugares entraram o baixista Michael Davis e o baterista Dennis Thompson. Com a nova formação o MC5 começou a tocar regularmente e os fãs foram surgindo, principalmente graças a anarquia generalizada de suas apresentações ao vivo. Logo o grupo passou a chamar a atenção de John Sinclair, um ex-professor de inglês, chamado de Rei dos Hippies. Sinclair era o criador do Trans Love Energies, denominação que encobria diversos grupos underground, incluindo o White Panther Party, uma organização política radical que pregava o uso de qualquer tipo de cultura, incluindo o rock and roll, para conseguirem o que queriam.

Em 1967, Sinclair se torna o empresário do MC5 e poucos meses depois o primeiro single da banda, I Can Only Give You Everything, é lançado. O MC5 se torna o principal porta voz do White Panthers, principalmente pelo uso político de suas letras, o uso dos símbolos nacionais americanos em shows e a pregação de que uma revolução era necessária. No final deste mesmo ano o MC5 se apresenta no Yippies´ Festival of Live, um evento criado para fazer oposição à convenção do partido Democrata. Nesta apresentação está Danny Fields um executivo da Elektra Records, que assina com a banda alguns meses depois.

O primeiro álbum do MC5, o clássico Kick Out the Jams, foi gravado ao vivo no Grande Ballroon, em Detroit, nos dias 30 e 31 de outubro de 1968. O álbum entra no Top 30 das paradas americanas, mas é boicotado por várias lojas, que consideram o disco ofensivo e citam a passagem Kick out the jams, Motherfuckers!. Atendendo os lojistas e indo totalmente contra ao que a banda desejava, a Elektra lança uma nova versão do disco alterando a frase para Kick out the jams, brothers and sisters.

Graças a isso a banda deixa a Elektra, logo depois Sinclair é preso por posse de maconha e a banda fica sem empresário e sem um contrato com gravadora. Conseguem, então, assinar com a Atlantic e gravam o segundo disco. Back in the USA é lançado em 1970 e, sem a presença de Sinclair, a veia politica do grupo se esvaece. Este segundo disco divide os fãs e a crítica que não gostaram muito dos novos rumos seguidos pelo MC5.

O trabalho seguinte, High Time, de 1971 é muito mais mal recebido ainda, vendendo poucas cópias e causando o rompimento da banda com a Atlantic. A banda vai a falência e se vê no meio de diversos problemas com drogas. Em 1972, o baixista Davis é demitido da banda por abuso no uso de heroína. Em seu lugar entra Steve Moorhouse, mas logo depois Tyner e Thompson anunciam que não terminarão a turnê que a banda estava fazendo. No primeiro dia de 1972 o MC5 faz seu último show no Grande Ballroon, esquecendo-se dos dias de glória, aceitam tocar por apenas 500 dólares.

A banda acabou e seus integrantes passaram a trabalhar em outros projetos. Tyner começou uma carreira solo e passou a ser conhecido também por suas fotos depois que morreu em 1991 graças a um ataque cardíaco. Smith montou o Sonic´s Rendezvous, junto com outro conhecido músico de Detroit, Scott Morgan. Com Morgan lançou City Slant em 1977 e logo depois deixou a banda, morreu em 1994, também de ataque cardíaco. Kramer, depois de lutar durante anos contra seu vício em drogas, que culminou em dois anos de prisão, lança The Hard Stuff, disco solo, em 1995. The Hard Stuff foi um dos primeiros lançamentos do selo Epitaph. Davis começou a trabalhar com o grupo Destroy All Monsters e Thompson não teve uma carreira solo.

No começo dos anos 2000 os remanescentes do grupo voltaram a se apresentar sob o nome de MC5 e agora em agosto se apresentarão no Brasil, no festival Campari Rock em São Paulo.

Para mais informações sobre a banda leia uma biografia mais completa no site Mofo.

Por Valdir Antonelli

Facebook

AGENDA

<<  October 2014  >>
 Mon  Tue  Wed  Thu  Fri  Sat  Sun 
    1  2  3  4  5
  6  7  8  9101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

NEWSLETTER

Deixe seu nome e e-mail para receber nossa newsletter.