Monday Oct 20

John Mayall

Attention: open in a new window. PrintE-mail

 

John Mayall - divulgaçãoFortemente influenciado por grandes, como Leadbelly, Albert Ammons, Pinetop Smith, e Eddie Lang, a partir de 13 anos de idade John aprendeu sozinho a reproduzir e desenvolver o seu próprio estilo com a ajuda de um piano do vizinho, uma guitarra emprestada e harmônicas de segunda mão. 

Da formação na faculdade de artes, aos três anos com o exército britânico na Coréia, para uma carreira de sucesso em design gráfico, cantar e tocar seu Blues ficaram para trás até que ele atingiu os 30 anos de idade.

De 1956 até 1962, John estava à frente do Powerhouse Four e mais tarde do Blues Syndicate. Foi então que o Alexis Korner´s Blues Incorporated foi o pioneiro do que se tornou conhecido como The British Blues Boom dos anos 60. Alexis foi rápido para incentivar e ajudar John a se mudar para Londres, onde em breve garantiu trabalho suficiente em clubes para poder virar profissional sob o nome John Mayall´s Bluesbreakers. Após alguns anos e uma constante rotatividade de músicos, ele conheceu seu soulmate Eric Clapton, que tinha saído do Yardbirds para tocar o blues. Esta histórica união culminou no primeiro álbum e hit para os Bluesbreakers e geraram um status lendário a nível mundial.

Após Clapton e Jack Bruce deixarem a banda para formar o Cream, uma sucessão de grandes músicos definiu suas raízes no âmbito artístico sob a liderança de John, foi quando ele se tornou tão conhecido por descobrir novos talentos como pelas interpretações ferozes do Chicago Blues que ele cresceu ouvindo. Assim que os sidemen saíam para formar seus próprios grupos, outros entraram em seus lugares. Peter Green, John McVie e Mick Fleetwood tornaram-se o Fleetwood Mac. Andy Fraser formou o Free e Mick Taylor se juntou aos Rolling Stones. Como afirmou Eric Clapton, "John Mayall já teve realmente uma incrível grande escola de músicos".

Em 1969, com a sua popularidade em florescimento nos EUA, John causou agitação com o lançamento de um álbum ao vivo intitulado "A Turning Point", a partir do qual a sua canção "A Room to Move", foi destinado a se tornar um clássico do rock. Ele recebeu um disco de ouro por este álbum. Atraídos pelo clima e cultura do West Coast, John se mudou permanente da Inglaterra para Laurel Canyon em Los Angeles, quando começou a formar bandas com músicos americanos. Durante todo os anos 70, John se tornou ainda mais reverenciado no jazz / rock / blues por apresentar inovações notáveis com intérpretes como Blue Mitchell, Red Holloway, Larry Taylor e Harvey Mandel. Ele também tocou com grandes nomes do blues como John Lee Hooker, T-Bone Walker e Sonny Boy Williamson em suas primeiras tours inglesas.

O ano de 1979 revelou-se transitório e climático para John Mayall, tanto pessoal como profissional. Com o público reduzido para o blues, Mayall lutado para manter a sua carreira viva. Pessoalmente, porém, ele começou um relacionamento de 20 anos com sua atual esposa Maggie (Parker), uma cantora de Música Popular de Chicago que tinha sido contratada por Harvey Mandel da banda que tocou com Mayall. A extrema infelicidade veio no seu caminho quando um incêndio destruiu sua lendária casa de Laurel Canyon. Determinado a subir da cinzas, Mayall perseverou. Motivado pela nostalgia e suas memórias, em 1982 John (juntamente com Mick Taylor e John McVie) decidiu reformar o original Bluesbreakers para uma tour e um vídeo do concerto intitulado Blues Alive, que apresentou Albert King, Buddy Guy, Junior Wells, Etta James e Sippie Wallace e outros. Toda uma nova geração de seguidores poderia ter uma ideia do nascimento da explosão do British Blues. A reação pública tinha convencido Mayall que ele devia retornar à sua condução das raízes blues. Como John McVie retornou para o Fleetwood Mac e Mick reassumiu sua carreira solo, Mayall retornou para Los Angeles para selecionar uma nova encarnação do Bluesbreakers. Lançado oficialmente em 1984, incluíndo futuras estrelas de brilho próprio, com os guitarristas Coco Montoya e Walter Trout e o baterista Joe Yuele, na banda até hoje. 

Os anos 90 viram o lançamento de vários álbuns de John Mayall que estabeleceu novos padrões no rock blues: "Behind The Iron Curtain", "Chicago Line", "A Sense of Place", e o Grammy-nominated "Wake Up Call" com convidados como Buddy Guy, Mavis Staples, Albert Collins e Mick Taylor. Em 1993, o guitarrista do Texas Buddy Whittington se juntou ao Bluesbreakers e ao longo dos anos fortaleceu a banda com o seu estilo único e idéias. Fazendo sua estréia na gravação de "Spinning Coin", mostrou-se apto a seguir seus ilustres predecessores. Depois lançaram dois clássicos modernos: "Blues for the Lost Days" e "Padlock On The Blues", (este último co-produzido por John e sua esposa Maggie, com uma rara colaboração com a grande lenda do blues John Lee Hooker, amigo próximo desde o início dos anos 60). Estes álbuns receberam grandes críticas e elogios, representam a maestria do blues de Mayall e sua contínua importância na música contemporânea. Além disso, Mayall lançou 3 CDs através de seu próprio selo, Private Stash Records; "Time Capsule", "UK Tour 2K" e "Boogie Woogie Man".

Este milênio revelou-se produtivo. 2001: Em "Along For The Ride", Mayall recebeu ex-músicos, incluindo Peter Green, Mick Taylor, Mick Fleetwood e John McVie, bem como Billy Gibbons do ZZ Top, Jonny Lang, Steve Miller, Billy Preston, Steve Cropper, Otis Rush, Gary Moore, Jeff Healey, Reese Wynans da banda de Steve Ray Vaughan e Shannon Curfman para uma espantosa exibição da força do blues, no seu melhor. Produzido por David Z, este álbum tem duetos de Mayall com nomes como Billy Preston, a lenda do blues Otis Rush e jovens sensações como Shannon Curfman. "Along For The Ride" apresenta também a primeira aparição juntos em mais de 30 anos de ex-Bluesbreakers como Peter Green, Mick Fleetwood e John McVie, que finalmente apareceram juntos como membros do Fleetwood Mac original. 

Em 2002: Mayall com os Bluesbreakers, novamente produzido por David Z., gravado em 27 de agosto de 2002 lança "STORIES", que estreou na Billboard blues em # 1, e seguiu-o com uma extensa turnê mundial. 2003: John Mayall fez 70 anos. Após extensa turnê, John Mayall & The Bluesbreakers fizeram uma festa de 70º Aniversário em Liverpool, com um concerto para auxílio da UNICEF que apresentou Eric Clapton, Mick Taylor e Chris Barber. Este concerto foi filmado, gravado e lançado como um DVD e CD duplo em Dezembro de 2003. Para fechar o ano, a BBC transmitiu o documentário de uma hora de duração sobre a vida e carreira de John Mayall, intitulado "The Godfather of British Blues".

Esse programa e um documentário de 1969 foram lançados em um DVD pela Eagle Records intitulado “Godfather/The Turning Point”, assim como o CD "The Turning Point Sound Track". Em 2004, a  Private Stash lançou um show ao vivo na Austrália em DVD - “Cookin´ Down Under´ e John compilou uma coleção de seus favoritos de todos os tempos contendo clássicos boogie woogie em faixas de um CD para a Documento Records com uma caixa conjunto de 4 CDs Eagle intitulada “Essentially John Mayall”. Incluirá também um bônus no disco com performances ao vivo apresentando grandes guitarras como Eric Clapton, Peter Green, Mick Taylor, Walter Trout, Coco Montoya e Buddy Whittington.

2005 viu o lançamento do 55º álbum de John, "Road Dogs", que foi produzido inteiramente pela Bluesbreakers e para o qual John escreveu 13 das 15 canções. (Os restantes 2 títulos eram de Buddy, Joe e Hank). O Bluesbreakers estão atualmente com um novo CD de estúdio intitulado “In The Palace Of The King”, que presta homenagem à música do herói do blues dos Bluesbreakers´ de longa data. 

No que diz respeito ao próprio homem, o pai de seis e avô de outros seis, John Mayall aos 73 anos de idade recentemente recebeu um OBE na lista de honra da Rainha, e como de costume, não mostra sinais de diminuir seu rítmo. Ele pretende manter o blues vivo por muitos anos vindouros.

Release

Facebook

AGENDA

<<  October 2014  >>
 Mon  Tue  Wed  Thu  Fri  Sat  Sun 
    1  2  3  4  5
  6  7  8  9101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

NEWSLETTER

Deixe seu nome e e-mail para receber nossa newsletter.