Thursday Jul 24

Michael Jackson

Attention: open in a new window. PrintE-mail
Um dos maiores nomes do pop mundial, um dos maiores vendedores de discos da história da música. Gênio ou louco? Michael Jackson simplesmente é um grande cantor que pode ter perdido a sanidade em algum momento da carreira, mas, de maneira alguma, isso pode ser considerado mais importante que sua contribuição para a música mundial.

Michael Joseph Jackson nasceu no dia 29 de agosto de 1958 em Gary, Indiana. Filho de um metalúrgico, o cantor começou a cantar e dançar cedo, aos cinco anos já se apresentava ao lado de seus irmãos no Jackson Five, na década de 1960. O sucesso apareceu poucos anos depois, quando o grupo lançou seus primeiros álbuns e o menino Michael passou a chamar mais atenção que os quatro Jackson mais velhos.

Sua infância não foi fácil, seu pai é até hoje acusado de ser violento com os filhos, principalmente depois de descobrir o talento de sua prole, mas Michael, por ser o mais novo e o astro, acabou por sofrer um pouco mais, principalmente por perder parte da infância para ensaiar, gravar discos e fazer shows - para algumas pessoas, isso explicaria sua fixação por crianças e Peter Pan.

Aos 11 anos vê seu grupo assinar com a poderosa Motown e rapidamente conhece o estrelato quando canções como I Want You Back, ABC, The Love You Save e I´ll Be There chegam ao topo da parada norte-americana, fazendo com que o Jacksons 5 se tornasse o primeiro grupo a conseguir tal feito na história da música. Em 1971, com 13 anos, o próprio Michael assina um contrato solo com a gravadora e lança seu primeiro single, Got to Be There, que dará nome ao álbum de estréia.  Ainda influenciado pelo trabalho ao lado do Jackson 5, o álbum não foi bem recebido pela crítica.

No mesmo ano um novo álbum, Ben, disco em que já começava a se distanciar dos irmãos. O single de Ben foi o primeiro a chegar ao primeiro posto da parada e sua letra contava a história de um garoto que tinha como colega Ben, um líder de gangue de ratos homícidas. A canção chegou a ser indicada ao Oscar. No ano seguinte sai Music & Me, último sucesso de Michael pela Motown e que trazia um cantor querendo incorporar novos elementos em suas canções. Nos próximos dois anos, tanto a carreira de Michael, como a do Jacksons 5 dá uma parada, até que o cantor lança seu último álbum pela gravadora. Forever, Michael, que não chegou a emplacar. No ano seguinte ele e seus irmãos, com exceção de Jermaine, assinam com a Epic e mudam o nome do grupo para the Jacksons.

Em 1977, Michael trabalha ao lado de Diana Ross na música The Wiz, uma versão feita apenas com atores negros de O Mágico de Oz. Na época conhece o produtor Quincy Jones e, um ano depois, empolgado com o sucesso do the Jacksons e do álbum Destiny, resolveu apostar em sua carreira solo, aproveitando que o contrato fechado por seu pai estava prestes a expirar. Com produção de Jones, o cantor grava seu primeiro trabalho solo como adulto, o álbum Off the Wall, uma mistura de disco music, soul e baladas. O álbum leva Michael definitivamente ao estrelado com quatro singles entrando no Top Ten norte-americano, com destaque para Rock With You e Don´t Stop ´til You Get Enough, que alcançaram o posto mais alto. O disco vendeu sete milhões de cópias, mas apesar do sucesso, Michael se manteve fiel ao the Jacksons por um tempo.

Seu álbum seguinte, também produzido por Quincy Jones, simplesmente fez do cantor um dos maiores vendedores de discos da história da música. Thriller mantém o pique de Off the Wall, mas inclui novos elementos, como o rock - Eddie Van Halen toca em Beat It -, a parceria com Paul McCartney, em The Girl is Mine, e a participação de Vincent Price em seu hit máximo Thriller.  O cantor também revolucionou a indústria de video clipes ao criar histórias para ilustrar suas canções, ou alguém já se esqueceu da briga de gangues em Beat It e os zumbis de Thriller? Enquanto isso, sua dança, e seu passo moonwalk, também conquistava o público, assim como suas roupas, imitadas por milhares de fãs em todo o planeta.

E se não bastasse seus três maiores sucessos, Thriller também trazia canções como Wanna Be Startin' Somethin, a balada Human Nature e P.Y.T. (Pretty Young Thing). Ao todo, sete de suas nove canções alcançaram o Top Ten. Thriller se destacou nas paradas durante dois anos e apareceu no topo dos álbuns mais vendidos em 37 semanas não consecutivas. Até hoje já vendeu mais de 50 milhões de cópias no mundo todo, metade apenas nos Estados Unidos e deu a Michael Jackson oito prêmios grammy em uma única noite. O sucesso também transformou o cantor em garoto propaganda da Pepsi - que rendeu, além de dinheiro, uma queimadura na cabeça durante as gravações de uma peça publicitária.

Sem parar de trabalhar, no final de 1983 grava seu segundo dueto com Paul McCartney, a canção Say Say Say. No ano seguinte volta a gravar com seus irmãos que lançam o álbum Victory. Ainda em 1984, participa ao lado de Lionel Ritchie e dezenas de outros cantores do projeto USA for Africa, que lança o single We are the World, para levantar fundos para pessoas necessitadas daquele continente. O single se tornou rapidamente o de maior vendagem na música.

Nesta mesma época, boatos de sua excentricidade começam a aparecer na mídia norte-americana, como o de que tomava hormonios para manter a voz infantilizada, ou que dormia junto ao esqueleto de John Merrick (o homem elefante) - neste caso, Michael chegou a ver o esqueleto em um hospital, mas nunca o comprou ou dormiu ao seu lado. Para ajudar, começa a construir seu misto de mansão, zoológico e parque de diversões Neverland em seu rancho na Califórnia. Talvez por causa das cicatrizes causadas pelas queimaduras, Michael passou a andar exageradamente sob maquiagem e começa a passar por diversas cirurgias plásticas, chegando a ser acusado pela comunidade negra de querer embranquecer a pele - anos depois, Michael alegou sofrer de vitiligo, doença que faz os pigmentos da pele desaparecerem e impede que a pessoa ande desprotegida sob o sol. Mas um dos rumores mostrou-se totalmente verdadeiro, em 1985, Michael compra os direitos pelas obras dos Beatles, fazendo com que sua amizade com Paul McCartney acabe.

Somente em 1986 Michael volta ao estúdio para gravar um novo álbum. Também sob os cuidados de Quincy Jones, o cantor lança Bad. Seu primeiro single, I Just Can't Stop Loving You rapidamente alcança o primeiro posto da parada e, como aconteceu com Thriller, o cantor coloca diversas músicas em evidência, como The Way You Make me Fell, Man in the Mirror, Dirty Diana e Bad. Uma longa turnê sucede o lançamento do trabalho, mas o disco é considerado um fracasso, já que vendeu apenas oito milhões de cópias, e também por não ter músicas tão poderosas como Thriller.

Nova pausa e em 1991 Michael lança seu último trabalho produzido por Quincy Jones, Dangerous. O disco também chega ao primeiro topo da parada, assim como seu primeiro single, Black or White - talvez a última grande canção do cantor. Entretando, apesar do clipe da canção mostrar um mundo tolerante e perfeito entre brancos e negros, inexplicavelmente o cantor aparece no final destruindo carros, causando críticas ferozes pelo uso inapropriado da violência. Mas os dias de glória de Michael estão chegando ao fim, ainda que os singles de Remember de Time e In the Closet conseguissem um certo destaque. A nova coqueluxe da música mundial aposta em um som mais barulhento e sujo. O grunge estava chegando para dominar as paradas. Assim, Dangerous foi batido por Nevermind, do Nirvana.

A partir daí, o lado excentrico do cantor passou a chamar mais atenção que seu talento musical. Michael nunca escondeu que preferia a companhia de crianças à de adultos e isso fez com que ele transformasse seu rancho em um gigantesco parque de diversões. Mas as implicações foram grandes, o cantor foi acusado, em 1983, de abusar sexualmente de um garoto de 13 anos que frequentava Neverland. Os tablóides adoraram e as acusações eram plausíveis. Agora, de gênio musical, Michael se transformava em um louco pervertido. Na mesma época, o cantor foi internado pela primeira vez em uma clínica para dependentes de analgésicos. Já as acusações de abuso sexual foram retiradas depois que Michael aceitou pagar uma fortuna para os familiares do garoto - algo entre 18 e 20 milhões de dólares.

Em 1994 outro ato considerado como loucura, Michael se casa com Lisa Marie Presley na esperança de reabilitar sua imagem. O casamento durou 19 meses e o casal se separou. Um ano depois, nova tentativa de colocar a música em foco com o lançamento de HIStory: Past Present and Future, Book 1. Dois CDs foram lançados, um com material inédito e seus grandes sucessos. A coletânea vende bem, mas o álbum com inéditas encalha, apesar de contar com boas canções, como Scream, um dueto com sua irmã Janet, e Your Not Alone, foi seu single de menor sucesso. No mesmo ano, o cantor teve de se internado às pressas depois de passar mal em um show. Para ajudar, uma coletânea dos Eagles ultrapassa as vendagens de Thriller nos Estados Unidos.

Outro sinal de que a sanidade do cantor não ia muito bem se deu durante o Brit Awards de 1996, quando Michael se auto-proclamou um messias, causando a ira de Jarvis Cocker, então líder do Pulp, que abandonou a cerimonia no meio da apresentação de Jackson. Ainda em 1996, Michael casa-se novamente, agora com Debbie Rowe, com quem teve dois filhos: Prince Michael Jackson, Jr e Paris Michael Katherine Jackson. O casamento dura três anos. Em 2001, o cantor é homenageado no Hall da Fama do Rock and Roll e faz um gigantesco show para celebrar seus 30 anos de carreira solo. O show marca a primeira reunião dos the Jacksons desde o lançamento do álbum Victory. Em setembro deste ano, Michael lança o single beneficente What More Can I Give. Antes do final do ano, o cantor lança Invincible, o primeiro trabalho de canções inéditas desde Dangerous. Produzido por Rodney Jerkins, Invincible estréia no topo da parada e rapidamente ganha o álbum de platina, mas seus singles You Rock My World e Butterflies não repetem o sucesso do álbum. Para ajudar, a Sony desistiu de lançar o single e vídeo de What More Can I Give quando o produtor Marc Schafeel divulgou que havia trabalhado no mercado de vídeos pornográficos.

No ano seguinte, Michael Jackson e a Sony começam a se desentender. O cantor alega que a Sony quer que ele devolva 200 milhões de dólares relativos à divulgação de seu disco, apesar da gravadora ter gasto "apenas" 55 milhões de dólares para o trabalho. Já a Sony, em nota, afirma que nunca pediu nenhum centavo de reembolso. Depois, Michael passa a atacar o presidente da companhia, Tommy Mottola, afirmando que Mottola é racista e que não gosta dá atenção aos artistas negros da gravadora. Diversos cantores, como Mariah Carey e Ricky Martin defendem Motolla, mas Michael e sua família mantêm as acusações e terminam seu relacionamento profissional com a empresa.

A partir daí, a carreira de Michael Jackson começa a passar por altos e baixos. Enquanto é considerado artista do século pela American Music Awards, é processado por não cumprir com um contrato para alguns shows - no julgamento, é obrigado a tirar as bandagens que cobriam seu rosto e escandalizou o mundo ao aparecer sem nariz, já que havia passado por outra cirurgia plástica um tempo antes. No mesmo ano, na Alemanha, outro acesso de loucura ao balançar seu filho, então com 11 meses, Prince Michael II, pra fora da sacada, segurando-o por uma perna. Ainda em 2003, Neverland é cercada por policiais a procura de provas de abuso sexual contra crianças.

No mesmo ano, outra coletânea. Number Ones traz todos seus grandes hits e uma canção inédita chamada One More Chance. No ano seguinte sua gravadora lança o box The Ultimate Collection, com quatro CDs e um DVD com a versão demo de We Are the World. Em janeiro de 2005, Michael vai novamente a julgamento por suposto abuso sexual de criança. Poucos meses depois, quebrado financeiramente, muda-se para o Bahrein e começa a trabalhar em um novo single, agora para levantar fundos para as vítimas do furacão Katrina. O single nunca foi lançado, mas em 2006 uma nova coletânea, The Essential Michael Jackson, chega às lojas. Ainda em 2006, o box Visionary também é lançado e traz seus 20 maiores hits em 20 DualDiscs contendo o clipe de cada canção. No ano seguinte promete voltar com um álbum novo, que nunca chegou a ser gravado.

Em 2009, Michael resolve que é hora de voltar aos palcos e agenda alguns shows, que logo se transforma em 50 apresentações na Arena 02 em Londres, mas reclama de seus agentes pelo excesso de apresentações, chegando a comentar que teria que passar a se alimentar melhor para aguentar a maratona.

No dia 25 de junho de 2009, Michael Jackson sofre uma parada cardíaca em sua casa, em Los Angeles, por volta das 12h20 (horário local). Levado ao hospital da Universidade da Califórnia, não resistiu e teve sua morte confirmada pelo hospital.

De acordo com o jornal Los Angeles Times, o cantor não respirava quando os paramédicos chegaram em sua residência. Tentaram reanimá-lo na ambulância e, de acordo com os médicos do hospital, chegou ao locam em coma profundo. O hospital fica a apenas dois minutos da casa de Michael.

As causas da morte não foram divulgadas, de acordo com nota do hospital, serão feitos todos os testes possíveis, inclusive toxicológicos, para determinar o que causou a falência cardíaca no cantor.

Com informações da All Music Guide e Wikipedia

Facebook

AGENDA

<<  July 2014  >>
 Mon  Tue  Wed  Thu  Fri  Sat  Sun 
   1  2  3  4  5  6
  7  8  910111213
14151617181920
21222324252627
28293031   

NEWSLETTER

Deixe seu nome e e-mail para receber nossa newsletter.